Gimnospermas. Reprodução. Habitat. Exemplos. Ciclo de Vida. ENEM

Ciclo reprodutivo das gimnospermas: pólen

Confira tudo sobre o ciclo de vida das gimnospermas no menu de navegação rápido abaixo, que dá avesso aos vídeos, textos e imagens explicativos disponíveis nessa página.

Características das gimnospermas

Segundo a teoria da evolução das plantas, pela primeira vez, no grupo das gimnospermas, surgem as plantas com semente. Este grupo do reino plantae, que apareceu na terra logo depois das briófitas e pteridófitas, está entre as matérias que mais caem no ENEM como questões de biologia.

Caso seja perguntado, em provas de biologia sobre botânica, as características das gimnospermas é importante lembrar dos seguintes aspectos:

  • fanerógamas: diferentemente das briófitas e pteridófitas, as gimnospermas apresentam estrutura reprodutiva bem definida
  • vasos condutores de seiva: esse filo, também chamado de magnoliófitas, do reino plantae, já apresenta tamanho considerável, sendo, algumas, tão grandes quanto as angiospermas. Isso só foi possível devido ao surgimento de vasos condutores, como o xilema, para seixas brutas (água e sais minerais, que vêm da raíz) e o floema para seivas elaboradas (glicose, amido, carboidrato e outros polissacarídeos, resultado da fotossíntese que acontece nas folhas ou onde apresentar as organelas competentes)
  • raízes, cause e folhas verdadeiras
  • no ciclo de vida das gimnospermas, o esporófito é a fase dominante
  • grão de pólen, representado pelo gametófito endospórico masculino, possibilitou a conquista definitiva do ambiente terrestre
  • estróbilos, ou pinha, estruturas que possuem folhas modificadas que são férteis, porque na base dessa folha existem os esporângios, ou seja, estruturas produtoras de esporos por meio de meioses. É por esse fato, que as gimnospermas são chamadas de fanerógamas, poque possuem estruturas reprodutivas muito visíveis
  • o ciclo de vida das gimnospermas é, predominantemente, esporado
  • não possui frutas

Reprodução das gimnospermas

Ciclo de vida das gimnospermas

Pelo fato de que o gameta das gimnospermas, representado pelos grãos de pólen endospóricos de esporângios masculinos, não mais necessecitarem de água para fecundarem o gametófito feminino, como nas briófitas e pteridófitas, dize-se que houve a conquista definitiva do ambiente terrestre por este filo do reino plantae.

O grão de pólen é uma estrutura, originada apenas de esporos vindos de esporângios masculinos, com extensões aladas na lateral, que possui duas células, chamadas de vegetativa e degenerativa, respectivamente. A estruturas aladas são resposáveis por aumentar a flutuabilidade dos grãos de pólen, pois permitem que estes apresentem maior superfície de contato com o ar, o que os impulsionam para maiores distâncias.

O que é pólen?

Formação de pólen nas gimnospermas

Ciclo reprodutivo das gimnospermas: pólen

As pinhas são estruturas com folhas modificas onde ficam os esporângios que, por meio de meioses, darão origem aos esporos, estes, com o vento, são dispersos e quando encontram condição propícia, originam os gametófitos feminos que serão fecundados pelos grãos de pólen, ou gametófitos masculinos, presentes do interior de esporos masculinos. Os esporos podem ser megaesporos, representando o esporo feminino ou microesporos, representando o esporo masculino. Caso o esporo possuir um gametófito feminino em seu interior é porque este foi originado de um macroesporo, caso o gametófito da gimnosperma originado for masculino, é porque este se originou de um microesporo que contêm pólen em seu interior. Por este motivo, a gimnosperma é classificada como uma planta de desenvolvimento gametofídico endospórico.

Pelo fato de as estruturas reprodutoras das gimnospermas serem tão evidentes elas são classificadas como fanerógamas, diferentemente das pteridófitas e briófitas, que possuem estruturas reprodutoras pouco evidentes e, por esse motivo, são chamadas de criptógamas.

Os esporângios são diplóides e os esporos haplóides, ou seja, ocorreu meiose. Todavia, dentro os 4 esporos formados, se estes vieram apartir de um esporângio feminino, apenas um dará origem ao gametófito, ao contrário do esporângio masculino, onde os 4 esporos formados pela meiose serão viáveis.

O que é polinização?

Caso você esteja se perguntando o que é polinização em si, saiba que esta palavra refere-se apenas ao ato de dispersão dos gametas masculinos, que se encontram dentro dos esporos masculinos, no ar. Esses, agora polinizados no ambientes, poderão encontrar os gametas femininos originados de esporângios femininos, das gimnospermas, e fecundá-los.

Exemplos de gimnospermas

Espécies representativas das gimnospermas

As principais espécies representantes das gimnospermas, que, geralmente, são as que, na botânica, representam um dos conteúdos que mais caem no ENEM, são:

  • Árvores do gênero Pinus (cedros, araucárias, sequoias, chamaciparis, abetos e ciprestes)
  • Taiga (também chamada de Floresta de Coníferas), comunmente presente em regiões frias do hemisfério norte
  • Mata de Araucária, muito comuns no sul do país. A espécie mais usual desta floresta é o pinheiro-do-paraná
  • Ginkgo Biloba, árvore de grande porteo (podendo alncançar até 25 metros de altura)
  • Cica, também chamada de palmeira-sagu. É, geralmente, encontrada em jardins, no intuito de decorá-los