Características do Expressionismo Alemão. Movimento Expressionista

O Grito: Quadro do Expressionismo Alemão

O Expressionismo é um movimento, contextualizado nas Vangurdas Européias, que não ocorreu somente na pintura, mas também no teatro, na música e nas esculturas. Todavia, é nas pinturas que ele deixou uma profunda marca na história. Se fosse para definir o Expressionismo em uma só palavra, sem dúvida escolheríamos “agonia”. Essa tendência artística nasceu na Alemanha, por isso é constantemente chamado, de modo geral, de Expressionismo Alemão. Os sentimentos que guiam esta vanguarda européia, usualmente, presentes em pinturas expressionistas, são:

  • subjetividade interior e isolamento
  • angústia, tormento e loucura
  • doenças, dor e contato com a morte
  • descaracterização do belo

Principais Artistas e Obras Expressionistas

Vendo algumas das principais obras do Expressionismo, podemos pensar que ele é similar ao cubismo, no sentido de não se apegar tanto à realidade das formas, mas sim à sua essência. Contudo, o expressionismo parece ser um pouco menos abstrato e, muitas vezes, mais “borrado” que o movimento cubista.

Expressionismo: Resumo

Características do expressionismo

Uma das preocupações da arte expressionista era com o padrão de beleza tradicional, tradição com a qual essa procurava romper por meio de conteúdo e formas abstratas e não tão delineadas. As artes expressionistas exibem, usualmente, um enfoque pessimista marcado pela angústia, pela dor e pela inadequação da arte e da realidade. Edvard Munch, por exemplo, deforma a personagem da tela “O Grito” para valorizar a emoção e o sentimento que desejava expressar, com contornos alongados, essa famosa pintura expressionista parece ganhar vida e movimento, ao mesmo tempo em que dá a impressão de derreter diante dos nossos olhos.

Principais Artistas do Expressionismo Alemão

Como o movimento expressionista nasceu na Alemanha, os artistas expressionistas deste país são sempre lembrados em aula sobre expressionismo. No vídeo em destaque, e no texto que se segue, os principais artistas do expressionismo alemão são lembrados, bem como seus estilos de pintura e sentimentos que procuravam expressar.

Edvard Munch, pai do expressionismo alemão

Quadro “O Grito”

Edvard Much é criador da obra “O Grito”, de 1893, quadro que foi vendido, pela última vez, por 119 milhões de dólares. Esta tela retrata muito bem as características do movimento expressionista já destacado: tormenta, dor, angústia, inquetude e medo. Não, por outra razão, essa pintura expressionista carrega o nome de “O Grito”. Essa obra-prima é lembrada, por exemplo, como expressão de subjetividade, no clip da banda Pink Floyd: “The Scream and the Great Gig in the Sky”.

Em relação à escrita, o trecho ao qual o quadro de Munch parece ilustrar se encontra em seu diário e foi destacado a seguir:

O Grito: Quadro do Expressionismo Alemão

Eu caminhava com dois amigos – o sol se pôs, o céu tornou-se vermelho-sangue – eu ressenti como que um sopro de melancolia. Parei, apoiei-me no muro, mortalmente fatigado; sobre a cidade e do fiorde, de um azul quase negro, planavam nuvens de sangue e línguas de fogo: meus amigos continuaram seu caminho – eu fiquei no lugar, tremendo de angústia. Parecia-me escutar o grito imenso, infinito, da natureza. (MUNCH apud NAZÁRIO, 1999, p. 151)

Nazistas como inimigos do Expressionismo Alemão

Como os nazistas tinham a ideologia de resgatar uma arte clássica que representasse a sua suposta pureza genética, muitos dos quadros de Edvard Munch foram queimados quando estes se encontraram nas mãos dos soldados alemãos, que os chamavam de arte degenerada. Além disso, Hitler já se referiu, algumas vezes, às mulheres, como o “mal do homem”. Essas, não raro, apresentavam-se nuas em alguns quadros de Munch, os quais Hitler parecia odiar. Tal comportamento, aliado, obviamente, a milhares de outras “extravagâncias”, são apontadas ainda hoje, para ilustrar uma possível perturbação de Hitler em relação a sua sexualidade.

Franz Marc

Outro artista expressionista muito falado é Franz Marc, famoso por pintar cavalos e outros animais. Desiludido com o materialismo da humanidade, ele dizia que os animais representam tuo o que há de bom no mundo e que toda a existência é um ardente tormento. Franz Marc talvez tenha encontrado seus anseios de morte quando morreu na batalha de Verdun em 1916, contudo o mundo perdeu um grande artista em ascensão.

Para Franz Marc, as cores tinham significado: o azul representava a masculinidade, a austeridade; o amarelo, a feminilidade, a alegria; o vermelhor, a dominação, a materialidade, por isso, não raro, os seres humanos, em suas telas, eram representados por essas cores e atitudes questionáveis.

Wassily Kandinsky

Outro dentre os principais artistas expressionistas, também representante do expressionismo alemão, encontra-se Wassily Kndinsky, conhecido pelo abstracionismo geométrico. Suas pinturas fazem referência ao folclore e contos. A liberade no uso de cores intensas, contornos e pinceladas abruptas configuravam torres, igrejas, cavalos e cavaleiros, sendo “O Cavaleiro Azul” uma de suas obras mais conhecidas, tratada, ainda hoje, como símbolo de espiritualidade por diversos especialistas.

Expresionismo no Brasil

Literatura Expressionista

Augusto dos Anjos

O Expressionismo brasileiro tem como seu principal representante o Augusto dos Anjos que, por meio do cientificismo trabalha algumas ânsias mórbidas presentes nas relações humanas. Segue uma de suas obras que justificam seu enquadramento como um expressionista brasileiro:

Homem, carne sem luz, criatura cega,
Realidade geográfica infeliz,
O Universo calado te renega
E a tua própria boca te maldiz!

O nôumeno e o fenômeno, o alfa e o omega
Amarguram-te. Hebdômadas hostis
Passam… Teu coração se desagrega,
Sangram-te os olhos, e, entretanto, ris!

Fruto injustificável dentre os frutos,
Montão de estercorária argila preta,
Excrescência de terra singular.

Deixa a tua alegria aos seres brutos,
Porque, na superfície do planeta,
Tu só tens um direito: – o de chorar!

Anita Malfatti

Dentre os principais pintores expressionistas, no Brasil, encontra-se Anita Malfatti, que é sempre lembrada quando se fala na Semana de Arte Moderna. Naquele contexto, ela foi muito criticada, majoritariamente por Monteiro Lobato, porém, atualmente, é lembrada como estando entre os principais artistas expressionistas brasileiros.