Briófitas. Reprodução. Habitat. Exemplos. Ciclo de Vida. ENEM

Ciclo reprodutivo das briófitas

Navegação rápida: clique nos linkes abaixo para ir direto ao assunto procurado:

Pesquisa sobre birófitas: tudo sobre briófitas

Por meio de tópicos bem separados, procuramos entregar respostas a quem faz uma pesquisa sobre briófitas. Através de vídeos, texto e imagens, destacamos tudo sobre briófitas ressaltando os conteúdos que mais caem no ENEM. Contudo, essa aula de botânica também é recomendada a quem faz faculdade de biologia ou mesmo à professores, pois as vídeo aulas foram muito bem escolhidas. Confira a divisão do que representaria o ciclo de vida briófitas:

  • estrutura das briófitas: caracterísicas
  • briófitas: reprodução
  • briófitas: habitat
  • grupos de briófitas: espécies de briófitas, exemplos
  • questões sobre briofitas e pteridofitas

O vídeo em destaque, além de relatar sobre a estrutura das briófitas, também mostra como acontece o transporte de água nas briófitas.

Estrutura das Briófitas: características

Caso caia, no ENEM, questões de biologia pedindo “caracterize as briófitas“, com certeza espera-se uma resposta que contenha, pelo menos, algumas das seguintes características das briófitas:

  • avasculares, os vasos condutores das brióftias são inexistentes, diferentemente das pteridófitas, gimnospermas e angiospermas, que já os possuem. Eis o motivo pelo qual as plantas briófitas possuem tamanho reduzido
  • musgos: briófitas os têm como principal representante
  • as plantas briófitas apresenteam pequeno porte
  • na evolução das plantas, as briófitas representa o filo que se desenvolveu logo após as algas verdes, que dominava, apenas, o ambiente aquático. A ordem é: briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
  • na reprodução das briófitas, a fase gametofídica é a dominante
  • as plantas briófitas e pteridófitas são fanerógamas, ou seja, possuem as estruturas reprotudoras pouco definidas, praticamente não dá pra vê-las a olho nú, diferentemente das gimnospermas e angiospermas
  • as plantas briófitas são epífitas, ou seja, elas podem viver sobre outras plantas sem afetar negativamente a vida destas
  • possuem rizóides, caulóides filóide, ao invés de raízes, caulas e folhas verdadeiras

Estrutura do musgo

A estrutura da briófita é composta, basicamente por gametófito e esporófito. O primeiro pode ser formado tanto pelo gameta feminino quanto pelo masculino e o segundo é produzido quando o zigoto se acopla ao gametófito. A função do gametófito é produzir gametas, a do esporófito é produzir esporos. O gametófito fas mitose e o esporófito faz meiose, ou seja, tem seu número de cromossomos reduzido durante a reprodução celular.

A estrutura do musgo possui o esporófito muito reduzido, praticamente não dá pra vê-lo a olho nu, e não representa a fase dominante no ciclo reprodutivo das briófitas, por isso as espécies de briófitas são classificadas como plantas fanerógamas.

Xilema e floema são vasos condutores de seixa que inexistem, especificamente, no filo briófita, existindo, apenas, nas pteridófitas, gimnospermas e angiospermas, o que explica o fato de os principais representantes das briófitas serem os musgos, pois, com a falta de vasos condutores, os nutrientes da planta passam, somente, de célula para célula, sendo impossível, então, transportá-lo a uma distância considerável da raíz, porque não há força de tensão e coesão causada durante a fotossíntese nas folhas dos grupos de briófitas, como já acontece apartir das pteridófitas.

O musgo briófita não possui raízes, caules e folhas verdadeiras, por isso, as partes dos musgos briófitas, análogas a essas, são chamadas de rizóide, caulóide e filóide, respectivamente. A parte do esporófito que se insere no gametófito é chamada de pé, a parte mais alongada do esporófito tem o nome de haste e a que a esta se liga é conhecida como cápsula, de onde sai a coifa. É no interior da cápsula onde ocorre a meiose que dá origem aos esporos, sendo essa estrutura do musgo, então, uma espécie de proteção que garante a continuidade do ciclo de vida das briófitas.

Ciclo reprodutivo das briófitas

Ciclo reprodutivo das briófitas

Habitat das briófitas

O gameta masculino das briófitas, é chamado de anterozóide, que é uma célula provida de flagelo, estrutura de locomoção que depende da água para se locomover do gametófito masculino até o feminino. Daí a necessidade de o habitat das briófitas ser úmido, pois a água é fundamental para o ciclo reprodutivo das briófitas. Caso não haja água, não haverá a reprodução das briófitas de forma sexuada.

Reprodução das briófitas

Do gametófito masculino das briófitas, que é haplóide, saem anterídeos, onde ocorre a mitose resposável pela produção de anterozóides, também haplóides. Há no gametófito femino, o arquegônio, onde ocorrem as mitoses, é a estrutura responsável pela produção dos gametas, neste caso, representados pela oosfera. Se os anterozóides conseguirem chegar até a oosfera ocorre a fecundação das briófitas.

“n” cromossomos do anterozóide mais “n” cromossomos da oosfera produz o zigoto, que é diplóide e dá origem ao esporófito, que se desenvolve sobre o gametófito feminino. Este esporófito será, também, diplóide, mas nele ocorrerá a meiose que produzirá os esporos que darão origem a novos gametófitos, podendo, estes, serem masculinos ou femininos. Se forem masculinos, darão origem a anterídeos que produzirão anterozóides, se forem femininos, darão origem a arqugônios que produzirão oosferas a serem fecundadas pelos anterozóides, resultando, assim, na continuidade do ciclo reprodutivo das briófitas.

Exemplos de briófitas: representantes

As espécies de briófitas, ou representantes das briófitas, mais conhecidos e muitas vezes referenciados como partes dos conteúdos que mais caem no ENEM são:

  • Marchantiophyta
  • Anthocerotophyta
  • Polysporangiophyte

Todavia, é bom lembrar que essas não são espécies de briófitas, mas sim, grupos que englobam diversas espécies, contudo, esses são listados como exemplos de briófitas por nós por representar o que pode ser, efetivamente, cobrado nas provas de biologia.

Questões sobre briófitas e pteridófitas